Imprimir

Coluna EXPRESSINHAS – Semanário EXPRESSO AMAZÔNIA

Escrito por Romerito Aquino e Tião Maia em . Publicado em Expressinhas

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Encontro de mandioqueiros

Foto DivulgaçãoFoto Divulgação

Com apoio da Embrapa, Ifac e Creac-Ac e de empresas privadas como a Casa da Lavoura, a Secretaria de Agricultura e Pecuária (Seap), do governo acreano, promoverá em Rio Branco, nos dias 7 e 8 de junho, o I Encontro de Mandioqueiros do Alto Acre e Capixaba. A ideia é reunir produtores de mandioca de Xapuri, Epitaciolândia, Assis Brasil, Capixaba e Brasiléia, para debater os avanços que a região vem alcançando com este tipo de lavoura. O encontro será coordenado pelo secretário-adjunto de Agricultura e Pecuária, Fernando Melo.

Adubação verde

Foto DivulgaçãoFoto Divulgação

A técnica mais usada para a abertura de novas áreas para o plantio sempre foi a derrubada de árvores, seguida do uso do fogo, com impacto muito negativo para o meio ambiente e para o solo. No Acre, no entanto, uma nova tecnologia de plantio está ganhando cada vez mais adeptos entre os agricultores. Trata-se da adubação verde com o uso da mucuna e de outras leguminosas forrageiras, que tanto corrigem o solo, como serve para adubo, dispensando a queimada. O meio ambiente e a produtividade agrícola agradecem

Energia de graça

Foto Arison JardimFoto Arison Jardim

Nas margens da rodovia federal BR-364 e do rio Juruá, em Cruzeiro do Sul, o piscicultor Claudevir Alves de Souza encontrou algo engenhoso e de custo zero para reduzir suas despesas e ampliar a produtividade dos peixes que cria nos açudes de sua propriedade. Construiu um catavento para oxigenar a água dos seus açudes e, desta forma, aumentar a sua produção de tambaqui, pirapitinga, tambacu, curimatã, matrinxã e pirarucu. O vento movimenta o tempo todo o catavento, que movimenta um motor para oxigenar a água.

Desconto na agricultura

Foto DivulgaçãoFoto Divulgação

O Banco da Amazônia anunciou a realização de um programa de renegociação de dívidas dos produtores rurais. A iniciativa vale para agricultores empresariais e familiares, com a promessa de descontos de até 85% para quitação dos débitos. As operações serão feitas com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) e os refinanciamentos podem ter prazo de até dez anos, com a possibilidade de carência até 2020 para início dos pagamentos. As taxas de juros variam de 0,5% a 3,5% ao ano.

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn