Imprimir

É tempo de plantar jardim e pomar na Amazônia

Escrito por Juracy Xangai em .

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

DEPOIS DO VERÃO RIGOROSO, COMEÇOU O INVERNO, A TERRA ESTÁ ÚMIDA E MACIA, TORNANDO-SE PROPÍCIA PARA O PLANTIO NO JARDIM E NO POMAR

A empresa Inter Play Serviços já é um triplo negócio - Foto Juracy XangaiA empresa Inter Play Serviços já é um triplo negócio - Foto Juracy Xangai

Gramados verdejantes, entremeados de roseiras floridas à sombra das palmeiras que enfeitam prometendo sombra e até bons frutos para a alegria da passarinhada. Assim é o jardim ou o pomar, conforme seja a vontade ou a possibilidade do dono caprichoso.

Essa também é a arte a que se dedica Manoel Lima da Silva, dono da Inter Play Serviços, loja que, a princípio, se dedicava apenas à colocação de películas em vidros de carros, mas que viu na produção e comercialização de plantas ornamentais um meio de incrementar a renda da empresa, que vai ficando cada vez mais verde.

“Sempre fizemos a instalação de películas protetoras ou refletivas e fumê em vidros de carro aqui na rua Minas Gerais, até que meu sogro pegou um contrato para cuidar dos jardins do shopping. Então, passamos a cuidar de plantas e a vendê-las num puxadinho aqui ao lado da loja, mas a coisa deu tão certo que está se transformando em nosso principal negócio”, assinala Manoel.

Hoje, a empresa Inter Play Serviços já é um triplo negócio, pois mantém a aplicação de películas para os veículos, uma área para os cuidados e venda de plantas e materiais como terra pronta e adubo orgânico e dispõe de um setor só para a venda de vasos e acessórios para jardinagem.

Aprender a cuidar das plantas é um desafio de todos os dias - Foto Juracy XangaiAprender a cuidar das plantas é um desafio de todos os dias - Foto Juracy Xangai

Manoel explica que “a grande maioria das plantas que vendemos aqui vem de São Paulo. Temos muitas novidades em flores e folhagens que chamam atenção das pessoas que desejam ter um jardim em casa ou na chácara. O segredo está em saber ouvir as pessoas, sentir o que elas querem e pesquisar para ter na loja o que elas buscam. Hoje, muitos querem ter vasos com alecrim, cebolinha, manjericão ou alfavaca perto da cozinha”.

Caindo meio que de paraquedas na jardinagem, o aprendizado inicial aconteceu com a ferramenta mais popular dos nossos dias, a internet, confessa ele. “Eu não tinha muita noção de como cuidar das plantas. Foi na internet que encontrei as dicas de cultivo que, na verdade, são bem diferentes para cada família de plantas. Cada uma tem suas preferências pelo tipo de terra ou substrato, quantidade de luz que recebe e até pela quantidade de água. A rosa do deserto, por exemplo é uma das plantas que melhor se adaptou ao nosso clima, mas ela não suporta excesso de água. Se tiver, apodrece, se faltar sol, não floresce. Então nós tivemos de aprender muita coisa”, diz.

Jardins começam a ser planejados pela grama

Em todos os jardins, a preferência começa pela grama que pode ser nativa ou a esmeralda, que melhor se adaptou à região. A vantagem do gramado, segundo Manoel, começa pelo controle de temperatura no verão, também porque sequestra a poeira que vem da rua, antes que entre em casa, ou apenas pela beleza sempre verdejante.

“A grande maioria dos nossos clientes começa a planejar o jardim da casa pela grama que custa R$ 15 o metro quadrado. Daí vêm as flores, as árvores, dependendo do gosto e do bolso, é claro. Então, a montagem de um jardim começa pela grama, pelas flores e árvores, mais a mão-de-obra de quem faz, é simples assim”, garante Manoel.

Paisagismo é arte que exige capricho no viveiro, jardim ou pomar - Foto Juracy XangaiPaisagismo é arte que exige capricho no viveiro, jardim ou pomar - Foto Juracy Xangai

Além da grama, a preferência por plantas maiores está nas palmeiras imperiais, sagu e areca-bambu, que ocupam pouco espaço e tem um visual bastante agradável. “Já pelas flores, a preferida é a rosa e para plantas maiores o bougainville que produz grandes floradas de cores variadas. Hoje, também há muitos que gostam da ixora-japonesa, orquídea bambu e onze horas para vasos e floreiras. Mas a moda está nos cactos pela facilidade de manutenção dentro de casa”.

O maior problema continua sendo o da adaptação de plantas que vem de fora ao clima quente e úmido do Acre no verão e quente e seco do verão. “A adaptação não é fácil. A gente perde bastante, mas já aprendemos muito. Agora, estamos iniciando uma nova fase que é a venda de mudas de fruteiras para quintais e chácaras”, conclui Manoel.

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn