Imprimir

Alimentos naturais da Amazônia traz muitos benefícios à saúde

Escrito por Romerito Aquino em .

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

ONG trabalha com alimentos da região para substituir os industrializados, prevenindo câncer e outras doenças

Amazônia tem uma diversidade muito grande de alimentos naturais - Foto DivulgaçãoAmazônia tem uma diversidade muito grande de alimentos naturais - Foto Divulgação

Você sabe o que está colocando em seu prato quando usa alimentos industrializados com gordura trans, vegetal e hidrogenada, espessantes, acidulantes, ácido cítrico, ciclamato de sódio, aspartame e conservante antimofo? Você está simplesmente armando uma inescapável arapuca para a sua saúde, que poderá ser gravemente abalada por várias doenças, entre elas o câncer.

Quem assegura isso é o nutrólogo Ênio Cardillo Vieira, professor emérito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e vice-presidente da Academia Mineira de Medicina, ao conceder entrevista ao jornal Correio Braziliense para falar do que representa para a saúde das pessoas os alimentos industrializados, que representam uma solução confortável para a vida corrida de um mundo cada vez mais globalizado.

“Esses alimentos, entretanto, podem ser uma verdadeira armadilha para a saúde, causando alergias, doenças cardiovasculares e até câncer quando consumidos demasiadamente”, assinala o nútrólogo, ao se referir aos corantes, aromatizantes, conservantes, antioxidantes, estabilizantes e acidulantes usados pelas indústrias para dar sabor, cheiro, aspecto naturais e maior durabilidade aos seus alimentos.

Semente de cupuaçu também produz óleo comestivel dos bons - Foto DivulgaçãoSemente de cupuaçu também produz óleo comestivel dos bons - Foto Divulgação

O professor se refere principalmente aos alimentos embutidos e os enlatados, ou seja, os alimentos cárneos que comandam a vida da maioria da população, como é caso dos grandes vilões hambúrgueres, defumados e salsichas”, critica. “Eles têm alto índice de nitrito, uma espécie de conservante que pode produzir nitrozanina, substância altamente cancerígena. No Japão, há um índice elevado da doença atribuído ao alto consumo de defumados”, revela o professor Vieira.

Na Amazônia, no entanto, alguns de seus habitantes começam a praticar um tipo de alimentação que caminha exatamente em direção oposta ao que vem provocando os alimentos industrializados no mundo, garantindo uma saúde de qualidade para quem está consumindo os alimentos naturais da região da maior floresta tropical do planeta.

É o que vem ocorrendo, por exemplo, no município de Benjamin Constant, no Amazonas, onde a enfermeira Sirlene Kunrart comanda uma ONG que trabalha nas comunidades ribeirinhas mostrando a importância dos alimentos naturais para o bem de todos e os riscos que as substâncias químicas colocadas nos produtos industrializados representam para a saúde das pessoas.

Óleo de amendoim também cozinha sem riscos os alimentos naturais - Foto DivulgaçãoÓleo de amendoim também cozinha sem riscos os alimentos naturais - Foto Divulgação

BEM VIVER COM OS ÓLEOS ORIGINÁRIOS DAS FRUTAS

Em entrevista ao programa “Alô Fronteira”, da Rádio Nacional do Alto Solimões, ligada à Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), a enfermeira fala dos alimentos produzidos na Amazônia como alternativa para substituir os alimentos processados e industrializados, que causam várias doenças, inclusive o câncer em vários órgãos do corpo humano.

Na entrevista, Sirlene Kunrart cita como os maiores vilões de alimentos industrializados os refrigerantes, doces enlatados, sorvetes, leite de caixa e de pacote, óleos industrializados como os de soja, de girassol, de canola e de milho, açúcares e trigo refinados, além das margarinas, que usam produtos químicos “altamente cancerígenos” e extremamente prejudiciais à saúde.

A enfermeira aponta como alternativas a estes industrializados as gorduras naturais extraídas dos próprios alimentos, presentes em muitos locais da região amazônica, como os óleos retirados da semente do cupuaçu, do cacau, do coco ou do amendoim do mato (nome científico pterogyne nitens).

Óleo de coco cozinha de forma saudável os alimentos naturais da Amazônia - Foto DivulgaçãoÓleo de coco cozinha de forma saudável os alimentos naturais da Amazônia - Foto Divulgação

“A gente tem alternativa para os industrializados. Essa é a coisa boa. A gente precisa procurar, buscar as alternativas e devemos retornar aos produtos anteriores ao advento dos óleos vegetais na forma de preparar os nossos alimentos. Os óleos vegetais surgiram na Segunda Guerra Mundial. Têm estudos que comprovam isso (os males dos óleos vegetais) na cardiologia, nas doenças cardiovasculares”

Segundo Sirlene Kunrart, no Amazonas é possível se observar uma questão epidemiológica muito interessante em relação aos problemas circulatórios, com menos pressão alta, menos infartos porque muitas pessoas já não usam mais os óleos vegetais industrializados, embora a maioria ainda os use na preparação de seus alimentos.

Ainda na entrevista, a enfermeira reconhece o problema da pouca oferta de óleos originários das frutas, como coco, cacau, semente de cupuaçu e de amendoim do mato. “A extração da gordura do caroço do cupuaçu e do caroço do cacau não estão facilmente disponíveis na venda, eles na verdade estão raramente disponíveis. O que precisamos fazer é começar a trabalhar na produção”, assinala.

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn