Imprimir

Matador garante vida saudável a todos

em . Publicado em Especiais

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

João Bosco já matou milhões de insetos e outros bichos nocivos em quintais, casas, comércios e repartições públicas

João Bosco é implacável quando é para garantir vida saudável a todos - Foto Juracy XangaiJoão Bosco é implacável quando é para garantir vida saudável a todos - Foto Juracy Xangai

João Bosco Nogueira Ribeiro, 58 anos, pai de dois filhos é um homem simples de falar tranquilo e maneirismo suave, mas quando se trata de matar morcegos, baratas, ratos, pulgas e carrapatos ele é implacável, por uma módica quantia, elimina todos que se puserem à sua frente.

A vida de matança de João Bosco começou há 40 anos quando foi trabalhar na CE Imec, uma das primeiras empresas especializadas em realizar serviços de dedetização em Rio Branco, capital acreana. E, desde então, nunca mais parou.

A empresa foi fechada há cerca de dois anos, mas ele continua sua luta acionado por telefonemas a qualquer hora do dia ou da noite, ou perambulando pelos bairros à procura de quem possa pagá-lo para eliminar as pragas que atormentam donas-de-casa, comerciantes e funcionários de repartições públicas.

Montado na bicicleta, João percorre os bairros da capital oferecendo seus serviços de matador - Foto Juracy XangaiMontado na bicicleta, João percorre os bairros da capital oferecendo seus serviços de matador - Foto Juracy Xangai

“Já matei milhões”. Vangloria-se João, bem-humorado, ao falar da finalidade de seu trabalho diário. “Vivo de matar bichos e insetos que perturbam e ameaçam a paz e até a vida das pessoas. O pagamento varia do tamanho do trabalho que vou ter. Vai de cem a cinco mil reais. Muita gente pensa em economizar dinheiro nesse combate, depois adoece e acaba gastando muito mais para ficar bom. Então, é melhor não arriscar”, aconselha.

Tapas não resolvem o problema da carapanã

Empurrando sua bicicleta, que que dispõe de vidros de veneno específicos para insetos, ratos, morcegos e até para matar capim, ele segue pelas ruas e bairros da capital acreana para fazer novas matanças, com a que ganha o dinheiro para sustentar a família.

Matador age de manhã, de tarde, de noite e até de madrugada - Foto Juracy XangaiMatador age de manhã, de tarde, de noite e até de madrugada - Foto Juracy Xangai

“A crise está brava. O pessoal está preferindo matar carapanã no tapa, mas esses papeizinhos que distribuem pelas ruas e os tapas não resolvem o problema. Aqui é quente e todas as pragas se multiplicam o ano inteiro infernizando a vida das pessoas. Então, o jeito é usar veneno para eliminar essa bicharada toda. Eu vivo disso”, assinala João Bosco.

O matador adverte sobre os descuidados que deixam o quintal cheio de mato, cheio de lixo, restos de construção, plásticos, entre outros teréns. “É disso que o rato e a carapanã gostam. Quanto mais sujo, mais eles se reproduzem e saem de lá para atacar as pessoas e os animais. É rato, pulga, carrapato, morcego e muito mais. Quem não se cuida está no risco, então me chama que eu mato”, completa.

João Bosco anuncia que seu serviço é realizado a qualquer hora do dia ou da noite de acordo com a necessidade ou preferência do cliente. Então, se quiser matar é só acioná-lo pelos telefones 99955-2163, 99949-0796, 98421-0990 e 99219-5400, que terá disponível o serviço de dedetização durante 24 horas.

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn