Imprimir

Acre pode ficar isolado de novo pela BR-364

Escrito por Romerito Aquino em . Publicado em Especiais

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Faltando apenas 1 metro para enchente do Madeira inundar a rodovia, governo acreano deve montar nova operação de guerra para abastecer o estado

Alagação da BR-364, entre Porto Velho e Rio Branco, está prestes a começar - Foto DivulgaçãoAlagação da BR-364, entre Porto Velho e Rio Branco, está prestes a começar - Foto Divulgação

As fotos mostrando a alagação do rio Madeira que se aproxima da BR-366, entre Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC) já são por si assustadoras, trazendo de novo o fantasma da grande tragédia que se abateu sobre o Acre em 2014, quando o estado ficou isolado do restante do país, trazendo enormes dificuldades para sua população se abastecer de vários produtos que importa de outros estados, em especial os combustíveis.

Alagação do rio Madeira já alcança nível bastante elevado - Foto Pedro Devani, Secom-ACAlagação do rio Madeira já alcança nível bastante elevado - Foto Pedro Devani, Secom-AC

Segundo informou nesta quinta-feira o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Acre, coronel Carlos Batista, a equipe de sua instituição e da Defesa Civil Estadual, que se deslocou hoje do estado para averiguar o nível do manancial de águas na região do Abunã, constatou que tal nível já era de 19,95 metros, representando um aumento de cinco centímetros nas últimas 24 horas.

Outro trecho da rodovia que poderá ser alagado nos próximos dias - Foto Pedro Devani, Secom-ACOutro trecho da rodovia que poderá ser alagado nos próximos dias - Foto Pedro Devani, Secom-AC

“(A rodovia) Ainda se encontra com uma altura de mais de um metro para chegar a atingir a estrada. Nós vamos continuar monitorando todos os dias, pois há previsão de chuvas um pouco acima da média para a bacia do Madeira”, revelou o coronel.

Rio Madeira alagado na região da balsas do rio Abunã, que corta a BR-364 - Foto Pedro Devani, Secom-ACRio Madeira alagado na região da balsas do rio Abunã, que corta a BR-364 - Foto Pedro Devani, Secom-AC

Caso as águas do rio Madeira continuem subindo e a BR-364 for inundada, o governo do Acre, com apoio do governo federal, vai ter de armar novamente a mesma operação de guerra que montou em 2014 para não zerar o abastecimento da população acreana das mercadorias que vão por terra dos demais estados do país.

Parece um oceano chegando próximo à BR-364, entre Porto Velho e Rio Branco - Foto DivulgaçãoParece um oceano chegando próximo à BR-364, entre Porto Velho e Rio Branco - Foto Divulgação

Como ocorreu em 2014, a operação de guerra terá de incluir tanto a BR-364, onde balsas terão se atravessar os caminhões para vencer os trechos alagados, quanto fortalecer a importação de produtos saindo de Manaus por balsa até Cruzeiro do Sul, para daí serem transportados para Rio Branco e outros municípios acreanos pela BR-364, que finaliza no município cruzeirense a sua extensão no território nacional.

Para fazer isso, o governo federal, através do Dnit, também terá de fazer outra operação de guerra para melhorar o tráfego desta mesma rodovia, de Cruzeiro para Rio Branco, que passou a ficar desgastado desde que o Dnit pegou novamente a gestão da manutenção anual da chamada rodovia da integração acreana.

Inundação do rio Madeira já quase alagando a BR-364, entre Porto Velho e Rio Branco - Foto Pedro Devani, Secom-ACInundação do rio Madeira já quase alagando a BR-364, entre Porto Velho e Rio Branco - Foto Pedro Devani, Secom-AC

Além de atuarem na BR-364, os governos federal e estadual também terão de trabalhar para completar o abastecimento do estado estimulando a importação de produtos industrializados que o Acre ainda não produz dos vizinhos Peru e Bolívia, através da rodovia Interoceânica, construída pelo governo Lula para ligar o Acre e os demais estados da Amazônia Ocidental aos países do Pacífico.

Vejam as fotos que o semanário EXPRESSO AMAZÔNIA, juntou com dar a dimensão para seus leitores da gravidade da enchente do rio Madeira, que pode causar a iminente interrupção da única rodovia que liga o Acre ao restante do país. Também assista ao áudio na matéria da Agência de Notícias do Acre em que o coronel Carlos Batista mostra o metro que falta para inundar a BR-364, no mesmo trecho que primeiro foi inundado na alagação do rio Madeira em 2014.

(*) Com Marcelo Torres, da Agência de Notícias do Acre.

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TechnoratiSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn